Select Page
Dificuldade Para Dizer Não?

Dificuldade Para Dizer Não?

Elimine Dificuldades De Dizer “Não” E Descubra Formas Adequadas

4 Passos Simples Para Definir Limites Saudáveis, Mantendo Sua Autoestima

Muitas pessoas têm dificuldades em dizer não. Com esses 4 passos você desenvolve habilidade de dizer “não” e ao final deixo um presente pra você, que com técnicas e profunda autoanálise que ajudarão você.

“Nós mudamos nosso comportamento quando a dor de permanecer, torna-se maior do que a dor de mudar. Conseqüências nos dão a dor que nos motiva a mudar”.

Quando não estabelecemos limites, permitimos que uma situação se torne mais dolorosa do que precisa ser. Definir limites pode ser difícil, mas não configurá-los é muito mais, a longo prazo. A falta de limites, pode causar ressentimento e encorajar os outros a “se aproveitarem” de nossa boa natureza.

Quando Estabelecemos Limites Saudáveis, Praticamos Autorrespeito, Autocuidado E Autenticidade

Nós melhoramos as nossas relações com aqueles que nos rodeiam, definindo nossas regras básicas e definir as expectativas com um senso de justiça e clareza.

Infelizmente, os limites geralmente são definidos somente depois de termos sido levados demais. Ficamos bravos e ressentidos. O relacionamento provavelmente já se deteriorou além do reparo. Quanto mais cedo conhecemos nossos limites, menos probabilidades de serem violados. Aprender a estabelecer uma fronteira firme no início, geralmente pode salvar a vida de um relacionamento.

É Assim Que Os Limites Saudáveis ​​Parecem:

  • “Não estou bem com você gritando comigo. Eu discutirei isso quando pudermos conversar calma e respeitosamente “.
  • “Não posso trabalhar horas extras neste fim de semana. Como não estava no cronograma, programei outros compromissos.”
  • “Eu posso te dar uma carona para casa, mas eu preciso sair às sete. Se você for mais tarde do que eu vou ter que sair sem você.”
  • “Seu amigo tem um problema com drogas, e não estou com vontade de estar ao lado dele. Por favor, não o convide novamente para nossa casa”;
  • “Eu tenho feito muito mais do que minha parte justa das tarefas domésticas. De agora em diante, só estou lavando meus próprios pratos. Espero que você lave o seu próprio. “

Aprender a Estabelecer Limites Como Estes Pode Ser Difícil. Veja Como Fazê-Lo Em Quatro Etapas Simples:

1. Identifique Suas Necessidades

Aproveite o tempo para refletir sobre suas necessidades emocionais e identificar o impacto desejado do seu limite. Você deve ter um objetivo claro em mente – por exemplo, sentir-se mais seguro, ser tratado de forma justa, respeitosa ou se relacionar de forma mais positiva.

O que aconteceu isso fez você perceber a necessidade de uma fronteira saudável? Como você se sentiu? Você tem uma boa razão para definir este limite, ou você está procurando uma maneira de punir alguém no calor do momento? Como, especificamente, você precisa de coisas para mudar no futuro? Como isso afetará sua vida? Seu relacionamento? Seu parceiro? A definição deste limite é justa e razoável para todos os envolvidos?

2. Defina Seu Limite

Seja tão claro e específico quanto possível. Um limite precisa ser concreto e facilmente compreendido para ser aplicado de forma eficaz. Por exemplo, ao invés de pedir ao seu marido para ajudar mais com o trabalho doméstico, você pode pedir que ele assumir a responsabilidade de varrer o chão ou fazer a louça. Anexe uma conseqüência a que o limite esteja quebrado, então seu ente querido sabe o que esperar. Seus entes queridos querem respeitar seus limites. Não entender como fazê-lo pode deixá-los confusos, frustrados e incompetentes. Defina seus limites no lado mais firme – é muito mais fácil aliviar um limite estrito do que apertar um solto.

3. Torne O Seu Limite Conhecido

Seja firme, mas permaneça tão calmo e amável quanto possível. Trate a outra pessoa com respeito. Lembre-se, você está pedindo sua cooperação. Quanto mais cortesia e respeito você mostra, mais provável é que você o receba. No entanto, há uma diferença entre ser educado e ser um obstáculo. Mesmo que você o comunique com respeito, seu limite deve permanecer firme. Não se desculpe por configurá-lo. Não explique excessivamente. Você não precisa justificar sua decisão. Comunique seu novo limite clara e rapidamente, para evitar confusão. Evite colocar sobre si, a culpa pessoal dessa decisão e reforçar o fato de você valorizar essa relação. Apenas seja leve, simples e autêntico.

4. Mantenha Seu Limite

Algumas pessoas vão tentar testar seus novos limites violando-os no início. Não permita que isso desmorone. Se você fizer isso, você está quebrando esse limite e enfraquecendo os próximos, que você pode tentar definir no futuro. Mantenha seu limite cumprindo as conseqüências que você estabeleceu originalmente. Se você prometeu remover um certo privilégio, faça isso de imediato. Se você disse que sairia, agora é sua responsabilidade

seguir. É por isso que é importante estabelecer conseqüências realistas antes que o limite seja violado. Se você não tem nada para estabelecer ou impor, então seu limite não tem pernas ou estruturas, para se manter e é provável que eles se desintegrem.

“Quando não conseguimos estabelecer fronteiras e responsabilizar as pessoas, nos sentimos usados, maltratados e desrespeitados. É por isso que às vezes atacamos quem são (o que é muito mais doloroso do que abordar um comportamento ou uma escolha)”. Definir fronteiras pode parecer difícil, mas fazer isso é necessário para manter um relacionamento saudável.

Sua ação (ou reação) à essa leitura AGORA, é pensar, neste momento, quais limites você precisa definir em sua vida. Afinal, seus interlocutores, saberão como lidar com você e te respeitar.

Crie e seja a melhor versão de você mesmo, para sua felicidade e dos outros, também.

Cadastre-se e você receberá em brevegrátis técnicas e reflexões para dizer "não"

Como As Crenças Se Formam?

Como As Crenças Se Formam?

Entenda Como As Crenças Se Formam e Como Elas Podem Destruir Nossas Vidas

como se formam as crenças

A Formação De Nossas Crenças

As Crenças Se Formam Através Do Que Vemos, Ouvimos, Percebemos, Pensamos e Sentimos, Durante Toda Nossa Vida…

No entanto, as principais crenças, têm formação nos primeiros anos de nossas vidas.

Na sequência desse post, você verá com mais detalhes, quando as principais crenças se formam.

Recomendo intensamente que você leia antes, caso não o tenha feito, o post “O Que São Crenças“, e depois prosseguir nesse tema como se formam as crenças. Basta clicar no link.

A Psicologia já considerava sobre o tema e compreendia bem sua estrutura. Depois Neurocientistas, em suas pesquisas mais recentes, consolidaram entendimento, não apenas baseado no comportamento individual, mas nas relações interpessoais.

A Neurociência, tem avaliado suas causas e efeitos de modo geral, com testes amplos, para identificar a formação das crenças.

Para compreender bem como as crenças são formadas, é fundamental analisar o princípio de tudo, em que momento elas se formam.

Muitas outras perguntas, responderemos em novos posts aqui no Blog “O Poder das Crenças”.

Como são as crenças?

Quais são os fundamentos da formação das crenças?

Quem é o responsável por suas formações?

Quantas crenças temos?

A Formação Das Crenças Depende de Você e…

como se formam as crenças

A formação das crenças, depende de você. No entanto, você sofre influências e impactos do “mundo externo”.

À partir de sua análise e percepção a respeito do mundo externo, você forma seu entendimento sobre a realidade, ou seu conjunto de crenças.

De forma geral, as crenças são o conjunto de conclusões que temos a respeito de tudo que existe e o que não existe, ou seja, são as coisas nas quais acreditamos.

poder das crenças | cadastre-se grátis em nossa lista vip

É a formação de nossa opinião sobre tudo, nossas conclusões etc.

Em Coaching, costumamos chamar isso de “criação do seu mundo interno” e em Programação Neurolinguística, chamamos de “representação interna de mundo”. Seria como viver seu próprio mundo (pessoal), interagindo com outros mundos (pessoas do mundo externo). Pode parecer meio louco, mas é assim que vivemos.

Cada pessoa, vive seu próprio mundo, suas próprias experiências, vivências, pensamentos, através de seus sentidos:

  • vendo
  • ouvindo
  • sentindo
  • tocando
  • percebendo a realidade vivida;
  • pensando
  • concluindo

Através destes, formamos sua decodificação do que é o mundo, criando assim, as respectivas crenças. ou representações do mundo segundo nossa percepção.

Na composição desse cenário interno, cada pessoa tem sua própria peculiaridade:

  • Sua visão individual/pessoal;
  • Sua opinião ou que está em formação;
  • Seus próprios gostos;
  • Suas preferências;
  • Sua missão, visão, valores e princípios pessoais;
  • Sua autoestima;
  • Ideia sobre os outros;

Enfim, a sua visão de mundo é exatamente o seu mundo pessoal. A esse mundo interno, chamamos de cosmo-visão.

A formação das crenças pode ser automática, muitas vezes como um estalo (sem percebermos); ou lenta e consistente, reforçada por várias outras situações e experiências.

As crenças se formam algumas vezes, de maneira consciente; mas em sua maioria, ela se forma inconscientemente, sem o crivo, ou confirmação cognitivo-consciente.

Em outros posts aqui no Blog “O Poder das Crenças” consideramos alguns efeitos das crenças, indicando que elas podem devastar sua vida ou solidificar sua felicidade, êxito e sucesso.

As crenças contribuem demais para o estado e realização das pessoas. Elas tornam possíveis (ou não) o sucesso em suas vidas.

Como As Crenças Se Formam?

As crenças se formam à partir das conexões neurais. Através das percepções sensoriais, absorvidas pelos sentidos, construímos pensamentos para entender sobre os diversos assuntos vivenciados no dia a dia.

Nossa mente é como um computador: A CPU é o nosso crânio, as peças / hardware, são o nosso cérebro e o software, são as conexões neurais. Às informações consolidadas pelas conexões neurais, chamamos de crenças.

Essas construções de pensamentos, formam as conexões sinápticas, que são as informações processadas em nosso “software principal”.

Esse software principal, processa as informações obtidas das análises das experiências e conclui esse processamento com a formação de novos softwares (conclusões, conceitos, verdades que acreditamos ou crenças) para facilitar nossas vidas.

Com esses novos softwares, nosso cérebro precisará de menos tempo, para processar decisões. Com essas informações processadas rapidamente, você age com maior rapidez, economizando energia.

Quando o ser humano ouve, vê, sente, observa e percebe os acontecimentos, ele cria as conclusões sobre esses detalhes.

O pensar humano é um processo essencial para o desenvolvimento da individualidade.

Quanto mais atuamos e percebemos a vida, mais desenvolvemos nossa capacidade de pensar. Por exemplo:

Você encontra um amigo que lhe dá um abraço.

Através da percepção sensorial, posso dizer:

“Encontrei um amigo que me deu um abraço caloroso e apertado. – Com isso, formou-se a crença: “ele gosta de mim”.

Caloroso e apertado são concepções desenvolvidas a partir do meu pensamento, vinculado à percepção sensorial do evento (o encontro e o abraço). Isso me leva a uma percepção mais sutil e profunda.

Então, através das minhas vivências e experiências eu crio minhas próprias concepções individuais, do que percebi sensorialmente, através do pensar.

Quando As Crenças Se Formam?

Como descrito acima, nossas crenças se formam na infância e pré-adolescência.

A maior parte das principais crenças, se formam até os 7 anos; e um pouco menos, até 12 anos. Porém, elas continuam se formando, ou se consolidando ou ainda, sendo reforçadas.

Quando nos deparamos com situações que desafiam nossas crenças , temos dificuldade de acreditar porque nosso software tem um padrão mental diferente. Então repensamos o assunto e colocamos nossa crença em julgamento ou o acontecimento em xeque (tentando racionalizar o que está correto) e assim concluir uma nova crença ou reforçar a existente.

Um exemplo disso é quando nos limitamos a trabalhar sempre numa mesma área, numa mesma empresa, então o comodismo gera uma zona de conforto. Só que essa zona de conforto, é fortalecida pelo medo de enfrentar situações desconhecidas,

Boa Notícia Sobre a Formação Das Crenças

O princípio que fundamenta as crenças que impedem nosso alcance, é a autoimagem ou o grau de nossa autoestima.

A primeira boa notícia, é que se você tem crenças negativas, que estão impedindo você expandir seu ser, suas ações e resultados, no desenvolvimento pessoal, você pode realocar crenças positivas ou expansionistas.

Todos nós possuímos recursos para nos impulsionar os resultados na vida. No entanto, você precisa acessar esses recursos e substituir as negativas pelas positivas.

Entre para lista VIP e receba mais informações sobre O Poder Das Crenças.

poder das crenças | cadastre-se grátis em nossa lista vip
Poder das Crenças | Cadastre-se Grátis Em Nossa Lista VIP

Pular para a barra de ferramentas